top of page

ESTÉTICA CAPILAR

O QUE VOCÊ PRECISA SABER

A grande maioria das pessoas se preocupa com os cabelos, e devemos mesmo ter cuidado com nossos fios, pois adquirimos os folículos pilosos quando ainda somos um feto de 22 semanas e não há formação de novos folículos ao longo da vida. O ciclo de vida do cabelo começa com o folículo vazio, em seguida passa pelas fases de crescimento, repouso e queda, retornando novamente ao folículo vazio. As fases acontecem simultaneamente e ao mesmo tempo, o que significa que neste exato momento você tem alguns fios crescendo e outros caindo.

Abaixo listamos alguns tratamentos que podem auxiliar em problemas capilares de diversas origiens.

Laser de baixa potência (LBI)

A capacidade dos lasers para induzir o crescimento de pelos é observada desde 1967 quando um estudo observou o crescimento de pelos em ratos doentes após tratamento com LBI. O LBI parece modular a liberação da enzima 5-α-redutase e favorecer a liberação de fator de crescimento endotelial vascular, os quais possuem importante papel no crescimento do folículo piloso. Além disso, o laser é capaz de aumentar a síntese de ATP celular, melhorar a oxigenação e a vasodilatação no couro cabeludo, o que pode fornecer excelentes resultados ao ser associado ao uso tópico de minoxidil.

A terapia com LBI vermelho para tratamento de AAG pode ser realizada semanalmente, com doses de 2 joules por ponto, respeitando distância de 2cm por ponto para que não ocorra a sobreposição de doses, pois a dose de 4 joules não produz mesmo efeito que a dose recomendada.

Terapia capilar com laser vermelho de baixa intensidade
Foto: acervo Dra. Bianca Stocco.

Os estudos realizados demonstram aumento na contagem total de fios em um período de 16 a 26 semanas de tratamento. Em alguns casos o LBI pode ser utilizado até 3 vezes por semana.

Tratamentos capilares “off label”

Além do tratamento com minoxidil e finasterida e do LBI, ou da associação destes, existem tratamentos que embora não reconhecidos pelo FDA como tratamento para AAG, tem demonstrado eficácia no tratamento deste tipo de alopecia. Estes tratamentos tem sido associados aos tratamentos já aprovados para melhor resultado.

Mesoterapia

A mesoterapia capilar ou intradermoterapia, é um procedimento minimamente invasivo, caracterizado pela aplicação de ativos (vitaminas, aminoácidos, enzimas, vasodilatadores, antiandrógenos) e/ou medicamentos como minoxidil e finasterida diretamente na derme. A mesoterapia promove melhora expressiva na qualidade, textura e brilho do cabelo. Também favorece o crescimento do cabelo e o fim da queda dos fios. Pode ser utilizada como tratamento coadjuvante na AAG, mas só será efetivo se o tratamento ocorrer logo no início da manifestação da AAG, quando ainda existem folículos ativos para estimular.

Carboxiterapia

A técnica da Carboxiterapia consiste na administração de gás carbônico com fins terapêuticos. Seu mecanismo de ação envolve vasodilatação local, com aumento do fluxo vascular e da pressão parcial de oxigênio, promovendo melhora na nutrição celular e eliminação de toxinas, além de estimular o crescimento de um fio mais resistente à queda.

Microagulhamento

O microagulhamento no couro cabeludo pode ser feito de duas formas: “Com rolinhos de agulhas – o chamado roller – ou com dispositivos em forma de caneta. No início do tratamento são realizadas sessões semanais ou quinzenais e após os 4 primeiros meses de tratamento, o intervalo entre as sessões aumenta para a manutenção do resultado obtido.

O microagulhamento capilar é uma técnica ainda recente, com poucos dados na literatura. Desta forma os mecanismos de ação propostos são apenas sugestões, sem comprovação científica. Um dos mecanismos proposto seria o estímulo da liberação de fatores de crescimento com o agulhamento do couro cabeludo. Estes fatores participam da sinalização e regulação da proliferação celular, necessária para o crescimento e reparação tecidual.

Nesse sentido, o estímulo à reparação tecidual desencadeado pelas lesões do microagulhamento liberaria fatores de crescimento que poderiam criar um ambiente propício para o crescimento das células foliculares do cabelo.

Além disso, as lesões provocadas pelas agulhas também induziriam a formação de novos vasos sanguíneos, melhorando a irrigação do couro cabeludo, e consequentemente o aporte de nutrientes para a região.

Além da liberação de fatores de crescimento e de melhora na irrigação e nutrição do couro cabeludo, o microagulhamento perfura o couro formando canais para permeação de ativos como vitaminas, aminoácidos e até medicamentos como minoxidil e finasterida.

Agende já sua consulta para realizarmos uma avaliação do seu caso.

bottom of page